leituras II

5 January 2008

Joseph ficara ao pé do primeiro degrau e olhava para cima, à espera que ela aparecesse. Sentia desejos de se abrir todo para que ela o examinasse, para que a rapariga visse o que nele havia escondido, mesmo as coisas que ele próprio não sabia.
«Assim estaria certo», pensou ele. «Ela saberia então que homem sou; e se o soubesse, faria parte de mim».
Ela parou no andar intermédio e sorriu-lhe. Trazia uma capa azul comprida sobre os ombros, e alguns cabelos tinham-se-lhes soltado e prendido na lã azul. Uma onda de ternura por aqueles cabelos soltos encheu o peito de Joseph. Riu bruscamente. «Venha depressa, antes que os cavalos desapareçam ou o momento passe».

A um Deus desconhecido de John Steinbeck

1 comment:

Costinha said...

bonita passagem, gostei muito...
:)